fbpx

COMO FAZER UM PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO QUE FUNCIONA? PARTE 4 – OBJETIVOS ESTRATÉGICOS

 Em Planejamento_Blog

Quando da publicação dos artigos anteriores, intencionamos abordar a forma de construir um planejamento estratégico eficaz, ou seja, que realmente seja capaz de produzir o crescimento e desenvolvimento da organização ou empresa. Para isto tratamos dos elementos fundamentais com estabelecimento da missão, visão e valores e a IDV – Ideia de Valor Dominante. Também tratamos da estratégia organizacional e da análise SWOT. Leia os artigos anteriores para completar seu conhecimento.

Neste novo material vamos discutir sobre o estabelecimento dos objetivos estratégicos, de maneira a orientar os passos e ações a serem definidas no processo e execução do Planejamento Estratégico.

objetivo estratégico

O que são Objetivos Estratégicos

Podemos definir objetivos estratégicos como os resultados a empresa ou organização pretende atingir considerado um determinado período de tempo.

Segundo Raimar Richers, professor fundador da EAESP /FGV, objetivos genericamente podem ser considerados as razões de ser de uma empresa. Ele afirma: “Mais especificamente definimos objetivos estratégicos como posições projetadas para a empresa como um todo, aceitas pelos seus dirigentes como desejáveis e exequíveis. ”

No Planejamento Estratégico os objetivos estratégicos são utilizados para definir o que será alcançado pela empresa. Quando corretamente estabelecidos permite que as equipes sejam capazes de identificar as metas mês a mês, trabalhando para alcançar o resultado esperado. Para serem estratégicos é necessário que estejam conectados com a estratégia organizacional e sejam mensuráveis. Ou seja, precisam apresentar critérios quantificáveis passíveis de medição e avaliação.

Como afirmado no C12 Group: “os objetivos estratégicos são aquilo que você considera mais importante para manter e fortalecer seu negócio e realizar a missão maior. ”

Os objetivos estratégicos podem começar a ser estabelecidos depois que se trabalhou e definiu os princípios fundamentais do Planejamento, como visto anteriormente.

O Balanced Scorecard

Em 1997, os professores Robert Kaplan e David Norton, da Universidade de Harvard (EUA), apresentaram a metodologia chamada BSC – O Balanced Scorecard. Pode ser traduzida como “Indicadores Balanceados de Desempenho” e é uma das metodologias mais utilizadas no mundo todo para facilitar a execução do plano.

As quatro perspectivas do BSC

Esta metodologia é utilizada para traduzir a missão e estratégia em objetivos estratégicos e pelas medidas que serão utilizadas para aferi-los. Os objetivos e medias são organizadas por meio de quatro perspectivas diferentes:

Perspectiva Financeira: refere-se aos aspectos financeiros, como geração de receita e gerenciamento financeiro da organização, e também sobre os impactos causados nos indicadores e metas estabelecidas, pelas decisões estratégicas.

Perspectiva dos Clientes: diz respeito à participação da empresa no mercado em que atua. Incluí a relação com seus clientes e o nível de satisfação apresentados por estes, e também aborda as diversas unidades de negócio, seu papel e seu desempenho na captação e retenção de clientes.

Perspectiva de Processos Internos: Nesta perspectiva o que se pretende é tratar dos processos utilizados pelo gerenciamento organizacional e operacional, buscando a avaliação devida. Tanto grau de inovação nos processos de gestão da empresa e o nível de qualidade de suas operações, são avaliados a partir desta abordagem.

Perspectiva de aprendizado e crescimento: O capital intelectual da empresa ou organização é o alvo desta perspectiva. Avalia-se a capacidade de a empresa manter este capital com motivação elevada, e crescente grau de satisfação interna e produtividade.

A adequação do propósito maior no estabelecimento dos objetivos estratégicos.

O C12 adaptou a metodologia do balanced scorecard para construir grandes negócios para grandes propósitos. Mantendo a missão, visão e valores fundamentais centrais, integramos o ministério como uma dimensão adicional para a definição e acompanhamento de metas.

A dimensão adicional de ministério vem acrescentar ao estabelecimento de objetivos estratégicos o parâmetro da busca do propósito maior do empreendimento. Ou seja, a organização inclui na sua existência a prática do servir.
Considerando as perspectivas acima, o C12 acrescenta o ministério aos quatro elementos essenciais originais da Matriz de Alinhamento, criando com uma adaptação prática, uma nova matriz de alinhamento com 5 pontos:

 

 

 

 

Exemplos de Objetivos Estratégicos

O C12 Group apresenta alguns exemplos de objetivos estratégicos que podem ser estabelecidos em cada um dos pontos da matriz de 5 pontos:

Gerenciamento Operacional: Alcançar 50% de redução de tempo de produção para criar vantagem competitiva
Produtividade para qualquer organização significa ajustar os processos de negócios para alcançar o melhor resultado para um cliente e, ao mesmo tempo, aumentar o lucro. Como exemplo, uma fábrica que ajusta um processo pode reduzir desperdício e tempo de produção, entregando um produto melhor ao cliente e com mais rapidez. Uma empresa de serviços que muda a forma como os clientes são tratados pode diminuir o tempo de chamada e aumentar a satisfação e a lealdade do cliente.

Geração de Receita: Reduzir o atrito dos clientes para 10%
Para crescer, uma empresa precisa aumentar sua participação em mercados competitivos. Os planos de marketing começam com o plano estratégico geral de negócios de uma empresa. Em seguida, explicam em detalhes como os objetivos específicos serão realizados. Planos de marketing contemplam ofertas de produtos ou serviços, pesquisa de mercados-alvo e análise da concorrência. Em seguida, traçam estratégias para colocar, precificar e promover as ofertas de uma empresa.

Gerenciamento Financeiro: Reduzir o ciclo de conversão de caixa para eliminar a dependência de linha de crédito para matérias-primas. Incluída nos objetivos de crescimento de uma organização está a disponibilidade de recursos para investir em expansão futura. Se os recursos financeiros de uma empresa forem fortes, o capital pode vir de reservas de caixa. Para muitas organizações, fortalecer os recursos financeiros significa criar fluxo de caixa ou aumentar os ativos, a fim de atrair investidores para financiar o crescimento e a expansão do mercado.

Gerenciamento Organizacional: Alcançar 75% de engajamento dos funcionários
As pessoas em nossas organizações muitas vezes são o nosso recurso mais importante. Desenvolver um plano de gestão de desempenho pode ser fundamental para o sucesso de nossas empresas. Além disso, programas que alinham a remuneração dos funcionários — aumentos por mérito, bônus — ao seu desempenho provaram ser muito eficazes. Motivar, recompensar e reter os melhores desempenhos é um objetivo de negócios essencial para qualquer empresa que busca manter ou superar com êxito as expectativas de crescimento.

Ministério: Criar uma equipe sustentável de cuidado e indicadores de desempenho do ministério
Se o ministério não for estrategicamente planejado ao longo do caminho, ele se tornará uma reflexão posterior lamentável. Nivelar a eficácia do ministério à visão requer as mesmas disciplinas de progressão e definição de metas que operações ou receita. Essas metas podem se concentrar em ofertas/doações, serviço comunitário, maior envolvimento de Capelania, distribuição do Evangelho/Bíblia, pessoas que passam a crer em Jesus, ou na porcentagem de pessoas impactadas por discipulados ou programas de assistência.

Pode iniciar o trabalho de definição dos objetivos estratégicos da sua empresa ou organização. No próximo artigo da série “Planejamento Estratégico que Funciona”, traremos o último assunto a ser abordado, mas que é fundamental para o sucesso. O KPIs, os indicadores de performance das etapas dos processos adotados para o acompanhamento dos planos de ação.

Até lá
————-
Este artigo e a série que está proposta foram elaborados a partir de material de autoria do C12, denominado Eternally Balanced Scorecard, The C12 Group, e com autorização do mesmo. Algumas partes foram compiladas integralmente unindo-se a conteúdo produzido pela nossa equipe da Contafix.
O Grupo C12, ou The C12 Group foi fundado em 1992 por Buck Jacobs em Tampa, Flórida, Estados Unidos. Cresceu de três grupos locais para se tornar a maior rede de CEOs, Empresários e Executivos cristãos nos Estados Unidos. O C12 é uma liderança no movimento de Deus “no” e “através” do mercado. No Brasil, o C12 Group atende empresas com mais de 10 funcionários e faturamento anual superior a R$ 2,5 milhões. O C12 não é simplesmente uma mesa redonda de CEOs, um grupo de networking, um estudo bíblico de negócios ou um fórum com palestrantes convidados. É um ambiente íntimo e confidencial em que profissionais com interesses semelhantes compartilham ideias, atuam em áreas de seus negócios que precisam de melhorias, responsabilizam-se mutuamente e incentivam uns aos outros a realizar negócios de uma maneira que honre a Deus.
A Contafix faz parte do C12, por meio de seus sócios.
Conheça o C12: https://www.c12brasil.com.br/

Posts recentes

Deixe um comentário

Contate-nos

Nós não estamos disponíveis no momento. Mas você pode nos enviar um e-mail e nós retornaremos o mais rápido possível.